Engenharia Alimentar

Licenciatura
Ensino Politécnico
Diurno
Idioma de Lecionação
Português
Unidade Orgânica
Instituto Superior de Engenharia
Área Temática
Engenharias e Tecnologias
 
Apresentação
Foi no Departamento de Engenharia Alimentar do Instituto Superior de Engenharia que o primeiro curso de Tecnologia Alimentar do país foi iniciado em 1988, e passados 2 anos passou a ser lecionado sob a designação de Engenharia Alimentar. A evolução dos conhecimentos científicos e técnicos conduziu à constante atualização e adequação do plano curricular do curso à realidade do mercado de trabalho e da sociedade. A Engenharia Alimentar, constitui uma área científico-tecnológica fortemente multi e interdisciplinar que estuda a produção, conservação, distribuição e comercialização de alimentos com elevada qualidade, tendo em conta as regras de higiene e segurança e respeitando o equilíbrio ambiental. Neste contexto, o curso de Engenharia Alimentar tem tido como objetivo formar jovens com um perfil de competências técnicas adequado à intervenção nas áreas referidas, assim como desenvolver nos diplomados a capacidade de trabalho e de adaptação a novas situações e desafios, a preocupação de aprender, de fazer e de inovar, a necessidade de atualização permanente, o espírito de equipa, a autonomia e a polivalência. O Curso de Engenharia Alimentar proporciona uma formação sólida em Ciências Básicas, em Ciências de Engenharia e Tecnologia e em Ciências Complementares, tendo na sua estrutura uma forte componente experimental, permitindo aos estudantes a aquisição de uma vasta experiência laboratorial nas áreas das Ciências Básicas e da Especialidade. No estágio curricular, os alunos têm a oportunidade de contactar com a realidade na industria alimentar antes de irem para o mercado de trabalho.

Objetivos

  • Formar profissionais com conhecimentos e competências necessárias à resolução de problemas concretos de Engenharia Alimentar, procurando satisfazer as exigências do mercado de trabalho e a evolução da Ciência e da Tecnologia.
  • Fornecer conhecimentos fundamentais à compreensão da natureza física, química e biológica dos alimentos e bebidas assim como das alterações resultantes do processamento tecnológico e dos métodos de controlar as diferentes etapas da produção, para obter produtos finais seguros e saudáveis.
  • Fornecer competências específicas ao nível do processamento de alimentos, do controlo de qualidade químico, microbiológico e sensorial, da implementação e gestão de sistemas de qualidade e segurança alimentar, do desenvolvimento e otimização de novas tecnologias e novos processos e produtos alimentares.
  • Estimular a utilização de estratégias/soluções que visem, a utilização de recursos e energia de uma forma sustentável, a diminuição de resíduos, a reutilização de subprodutos e o respeito pelo equilíbrio ambiental.

Legislação Aplicável

Alterado em 2019 (Aviso 9085/2016, DR, 2ª s, n.º 139 de 21 de julho).

A candidatura ao ensino superior público é feita anualmente através de concurso nacional e concursos especiais.
Documento
 
Saídas Profissionais

Desempenho de atividades profissionais em:

  • Empresas do setor Agroalimentar, Administração pública, central, local e associações profissionais
  • Empresas de fornecimento, distribuição e comercialização de géneros alimentícios
  • Empresas de consultoria e auditoria
  • Entidades de fiscalização
  • Equipas de Investigação e desenvolvimento de processos, equipamentos e produtos alimentares em indústrias e outras organizações
  • Equipas para o planeamento e a execução de projetos de indústrias alimentares
  • Equipas de formação/educação