Ensino e Aprendizagem Baseados na Investigação

 

Célia Quintas

Licenciatura em Engenharia Alimentar (3º ano)

 

Nº de estudantes: 15 a 18 estudantes (aulas práticas experimentais com por turma organizados em grupos)

 

Objetivo que se pretende atingir com o uso da estratégia

Proporcionar formação em áreas do conhecimento previstas nos conteúdos da unidade curricular através da execução de pequenos projetos de investigação (colaborativos); Revisitar e aplicar metodologias; Recolher dados experimentais; Analisar resultados; Discutir resultados; Elaborar de relatórios respeitando as regras de elaboração de trabalhos técnico/científicos (artigos científicos). Apresentar comunicações orais e/ou painéis na “turma”.

 

Tempo (i) de preparação e (ii) em aula       

Preparação de material antes da aula: 8h para preparar reagentes, meios de cultura e material estéril; Preparação de material depois das aulas: 3h para descontaminação e lavagem de material; ii) Aulas práticas de 2h + 1h/semana durante 4 a 8 semanas

 

Recursos necessários (ex. espaço, organização do espaço, material, etc.)         

Laboratório de microbiologia munido dos equipamentos básicos. Apoio técnico adequado (recursos humanos).

 

"Frequência" de utilização (apenas uma vez ou frequentemente?)         

Utilizo numa Unidade Curricular quando pretendo lecionar o tema “fermentação de alimentos de origem vegetal”.

 

"Prática": como é aplicada, o que requer dos estudantes, que instruções devem ser dadas     

Os estudantes, organizados em grupos, realizam um conjunto integrado de estudos físico-químicos e microbiológicos, seguindo as instruções escritas e disponibilizadas previamente pela docente, num protocolo experimental. Este protocolo é discutido previamente com os estudantes.

 

Principal motivação para colocar a estratégia em prática?         

Proporcionar aos estudantes oportunidades de: a) Aprender a investigar no laboratório de aulas; b) Contribuir para o desenvolvimento de competências de forma integrada.

 

Reação ou resposta dos estudantes?          

Comentário do estudante 1: "Os estudantes ao longo do trabalho prático evoluem nas capacidades de análise de casos de estudo práticos, bem como na crítica e apresentação dos resultados obtidos. [...] Permite, ainda, aos alunos adaptar os conhecimentos obtidos para diversos casos no âmbito da temática de Alimentos Fermentados."  Comentário estudante 2: "Na cadeira de Alimentos Fermentados [...] estudámos a evolução microbiológica em casos reais. Na teoria estudámos que numa fermentação natural de azeitonas proliferam principalmente as bactérias ácido-láticas. Na prática observámos que no Algarve a microbiota dominante são as leveduras." Comentário do estudante 3 "Participei no meu primeiro congresso".

 

Evidência(s) do sucesso da estratégia (para si próprio, enquanto docente, e para os estudantes)?     

Num dos anos em que realizei este trabalho, os resultados foram tão interessantes que o grupo de estudantes que obteve melhores resultados, apresentou uma comunicação num congresso internacional com o título “Olives’s fermentation: Study performed during Fermented Foods’ laboratory sessions”. 1st International ISEKI_Food Conference: Bridging Training and Research for Industry and the Wider Community. Porto, Portugal.

 

Escala - "usabilidade" com turmas grandes e/ou pequenas?

A aplicabilidade com turmas grandes depende dos recursos disponíveis para este tipo de estratégias. No caso da nossa instituição aplica-se apenas com 4 ou 5 grupos de 3-4 estudantes.

 

Transferabilidade para outras UC que leciona? Como? Porquê?  

Abordagens integradas e multidisciplinares na produção de alimentos e bebidas são possíveis desde que existam disponíveis recursos.